Embora tenha vivido 95 anos, muito além da expectativa de vida do seu país, Nelson Mandela deixa a impressão de que viveu pouco. 

Sua luta pela liberdade é muito conhecida pelo mundo, mas principalmente pelos sul-africanos, que celebram com todas as honrarias a perda de seu maior filho. 

Desde 1994, o país passou por significativos processos de modernização, mas suas lutas, culturas e história permanecem presentes e lembradas, com orgulho.

Para quem acompanha o blog mas ainda não decidiu seu destino, chegou a hora!

Visitando o site da agência de intercâmbio Word Study (http://www.worldstudy.com.br/noticias/muita-diversao-e-aventura-no-seu-intercambio-na-africa-do-sul) achei uma promoção muito bacana. 

 

Para quem pretende ficar no mínimo 4 semanas, a World Study está oferecendo, para os alunos que se matricularem na: 

Good Hope Studies: Salto livre de parapente ou uma viagem de helicóptero

Cape Town é uma cidade linda, vista no céu então é fantástica:

Imagem

Esta foi a escola em que estudei. Recomendo!

International House: um passeio turístico Cape Penisula Day Tour. 

É um passeio que da pra conhecer a cidade quase toda! Embora alguns pontos mereçam “perder” mais tempo. Olha aí: 

 

Imagem

– LAL Cape Town: desconto de 10% em todas as atividades de lazer oferecidas pela escola. 

Fica a dica galera!

Abraços

 

 

 

Logo que fechei meu intercâmbio para a Africa do Sul o pessoal da World Study falou sobre a Garden Route e me passaram as primeiras dicas (o que facilitou muito a Trip).

Por isso, como muita gente me pede dicas sobre o roteiro, resolvi compilar as informações do Blog às que recebi do pessoal da World Study….

Façam as malas, e pé na estrada!!

– Saída de Cape Town (quarta feira, após aula da manhã)

  • Seguir sempre pela beira do oceano (R44)]
  •  A primeira cidade para parada rápida é Gordon Bay (praia com água quente, paradisíaca)
  •  Continuar pela R44, passa por uma cidade chamada Hermanus
  • Depois pega a R43, que leva ao Cape Agulhas
  • Volta pela R319, pega a N2 e segue direto até Mossoul Bay.
  •  Dorme a primeira noite. Fiquei em um backpacker que é um trem estacionado em frente ao mar. Mas tem vários outros.
  • A escola, geralmente, ajuda a fazer a reserva pra você.

– Saída de Mossoul Bay (quinta-feira)

  • Segue pela N2 em direção à Pletenberg Bay.
  • É hora do Bungee Jump Galera!!!

*Seguir em direção em direção ao Tisikama National Park. Vale a pena “perder” um pouco de tempo explorando o Park.

*Lá tem várias opções de esportes de aventura, além do B-Jump.

  • Segunda noite dorme em Plettenberg Bay.

– Saída de Plettenbarg Bay (sexta)

  • Seguir em direção à Jeffery’s Bay
  • No caminho tem várias opções de Safari. As informações e reservas podem ser feitas no Ti

* Sobre J-Bay ver post anterior (com indicação do albergue).

* Para quem gosta de surf, vale a pena gastar dois dias aqui.

* Para aqueles que querem conhecer mais uma cidade, vale a pena sair do sábado para Port Elizabeth, uma das cidades cede da copa.

  •  No caminho, tem algumas opções de Safari.

*Vocês podem pegar informações sobre os safáris disponíveis, e até fazer as reservas, no Tisikama National Park (tem um centro de informações turísticas na ponte do B-Jump)

– Retorno para Cape Town (domingo).

  • O retorno é mais rápido e tranquilo. Basta pegar a N2 e seguir até CPT (de 4 a 6 horas, dependendo do motorista e da quantidade de paradas). A estrada é perfeita.    

Pode até parecer complicado, mas é só ir fazendo os direcionamentos no GPS que não tem erro.

Além do mais as vias possuem excelentes condições e são bem sinalizadas.

Lembrando que, para quem não ficará mais de três meses, não é necessário carteira internacional de habilitação.

Dica de ouro: locar carro sem limite de quilometragem diária.

Um abraço e mandem notícias!!

 

Ta quase no fim da Trip…. e Jeffreys Bay foi uma excelente surpresa!

Eu não sabia… mas J-Bay é dos 5 destinos mais famosos de surf do mundo! Anualmente eles tem o  Billabong Pro ASP World Tour, que ocorre sempre em Julho.

A cidade é bem pequena mas tem muito a oferecer….

Eu fiquei no Island Vibe J-Bay… a localização é privilegiada… e exatamente em frente ao mar:

As acomodações são bem razoáveis… mas é sempre melhor se vc estiver em grupo, pq da pra fechar um quarto.

Os banheiros e chuveiros são tranqüilos…

Mas o melhor deste Albergue é a noite… o bar fica lotado de gente de tudo quanto é canto do mundo…  tem música, sala de jogos e, claro, mta cerveja!

A cidade em si não tem muita opção a noite… mas o rock do albergue vale a pena!

Acabamos ficando dois dias em J-BAY:

Ta aí a foto do bar:

Confere La as tarifas: http://www.islandvibe.co.za/island-vibe-jbay-in-a-nutshell.html

Claaaro que se eu to em um dos destinos mais disputados do mundo para surfar….. eu não perderia esta oportunidade!

Infelizmente meu HD queimou e eu perdi todas as fotos de vídeos dos caldos e da quase onda que eu peguei! Hehehehe

Ah… a cidade é ótima para compras!! Lá fica loja da fábrica da Billabong e Rip Curl!

É ótimo para comprar presentes para mães também… tem uma loja de artesanato inacreditável lá (e estava tocando música brasiliera… MPB!!)

Valeu pelos comentários….

Abraços e até mais!

Galera,

Depois de um longo e tenebroso inverno decidi voltar a atualizaro blog com os ultimos dias de viagem!

No seundo dia da trip acordamos cedo… e partimos para Plettenberg Bay.. um dos destinos mais esperados da trip!

Próximo à cidade fica o Tsitisikama National Park.. um parque de reservas naturais em que podem ser praticados vários esportes de aventura… tem para todos os gostos!

Pra mim o melhor foi o Bungee Jump!!

Da uma olhada na altura da ponte! Só de passar de carro em cima dela fiquei maluco!

A empresa que administra o salto é muito organizada. Tudo é muito rápido e seguro.

Antes do pulo eles explicam como será, que você está sendo preso em mais de um lugar… e verificam tudo mais de uma vez!

Quem me conhece sabe que essa cara nao é de tranqilidade:

Quando dei por mim… ja estava quase la…

E ja que eu estava ali… pulei!!

Definitivamente, foi a melhor experiência da minha vida!

Superei o medo de altura e pulei no b-jump mais alto do mundooo! São 216 metros de altura… para aqueles que nao tem noção de altura… é três vezes mais alto que o vão central da Terceira Ponte!!

Valeu demais!!

Perguntas que sempre me fazem:

  • 1) Da frio na barriga?

São 5 a 7 segundos de queda livre… apesar do tempo ser longo… nao da frio na barriga…

  • 2) Sente um “puxão” no pé?

Não!! A gente nao sente nenhum desconforto… acho que é por causa da elasticidade da corda…

Quando descemos da ponte somos encaminhados para uma sala cheia de bugigandas para comprar… e o video do salto fica passando nas TV’s… nao resisti e comprei:

Se posso deixar uma dica aos visitantes da Africa do Sul… nao deixem de pular de b-jump!!

Ah, quase me esqueci: valor do pulo (com videos e fotos) 700 Rands (R$ 175,00)… pular do b-jump mais alto do mundo… não tem preço!!

E ainda virei “garoto” propaganda… heheeh

Até breve!

Alugamos um carro (Toyota Yaris), colocamos 5 cabeças dentro dele, e na quarta-feira, após a aula, partimos para a Garden Route. Foram 5 (cinco) dias de trip…

Esse é o carrinho que nos acompanhou, e muito bem diga-se de passagem. Aliás, as estradas aqui são sempre muito boas, não tem buracos e a todo momento ha terceira faixa. A velocidade média acaba sendo um pouco mais elevada (não vou escrever aqui a velocidade maxima pq minha mãe tb lê o blog e ela pode não gostar).

Na ida, partimos pela R102, pq o plano era fazer paradas sempre que encontrarmos um lugar paradisíaco, abortamos este plano pq senão ainda estaríamos viajando.

O primeiro stop foi em Gordon Bay, uma praia de água cristalina, limpa, e pela primeira vez na Africa do Sul: Quente!!!!!

Seguimos viagem. Esse trecho, até Mossel Bay, é sempre contornando o oceano. Não sei se é historia pra turista, mas dizem que é a rodovia mais bonita do mundo ( e bem que pode ser)..

Nosso proximo stop foi em L’Agulhas!! The Southernmost Tip Of Africa!!

É de fato o ponto mais ao sul do continente africano, e onde se encontram os aceanos atlantico e indico…

O lugar, pra variar, é incrível:

Depois dessa parada, fomos direto pra Mossel Bay… onde passamos a primeira noite.

Dormimos em um backpack que funciona em antigos vagões de trem. Claro que não é dos mais confortáveis, mas compensa pelo preço e pela aventura!!

Mossel Bay é uma cidade pequena, que todos diziam: “não tem nada pra fazer… é so pra dormir”

Mas a gente não ouviu essa parte… de fato não tinha muita coisa, mas o suficiente para tomar uma ou duas cervejas (quentes) e se jogar no rock…. tinha uma 15 pessoas no night club, mas ng contou isso pra gente.. heheh

(por motivos óbvios, sem fotos deste momento)

Bom, este foi só o primeiro dia da Trip! No dia seguinte teve muito mais… mas isso é assunto para o próximo post!!

Até breve!!!

Galera, ainda estou encerrando o diário de bordo da Garden Route…. mas enquanto isso… segue o Shark Dive (mergulho com tubarão branco) que fiz no sábado anterior a Trip

No sábado bem cedo (3:45 AM) o transfer me pegou em casa para fazer o mergulho.

O local fica há umas duas horas de Cape Town, e, como tudo aqui, é lindo.

Aqui, a todo momento que você tira uma foto, parece cartão postal.

Enfim, chegamos ao local, houve orientação, e tivemos um breakfast.

Depois disso pegamos um barco para ir próximo à ilha onde ficam os tubarões.

Era bem cedo e o vento muito frio!! Por isso eles nos dão uma capa laranja (parecida com o que os caras do Pesca Mortal do Discovery usam) que é muito boa pra proteger do vento.

Quando a gente chega no local, recebemos a roupa de mergulho, já do tamanho adequando (os caras são muito organizados) e, enquanto nos preparamos, eles chamam os sharks!!

Jogam na água peixes e arraias (as arraias são falsas) e de repente… aparecem os primeiros.

Então entramos na água – dentro de algo parecido com uma gaiola – pra ver de perto os tubarões!

Ai é só mergulhar para sentir a sensação mais incrível (até agora).


É muuuuito sinistro!!

Os tubarões ficam a menos de um metro de nós.

Um deles – com aproximadamente 4 metros – veio com a boca gigante exatamente para cima do local onde eu estava.

Impossível descrever a sensação!

No total, vimos 8 diferentes tubarões.

Ah, claro que a água estava incrivelmente gelada, e como não usamos luvas, quase perdi minha mão!!

Na volta (por volta de 15:30), o barco passou em frente de uma ilha com milhares de focas, e milhares de filhotes de focas…. é lindo… mas o cheiro é horrível!!

Chegamos em terra firme (finalmente, pq não agüentava mais aquele balança balança do mar), tomamos uma sopa, assistimos ao DVD (que eu não comprei, achei caro e tudo que eu precisava tinha nas minhas fotos), e fomos embora.

Cheguei em casa quase 19:00, destruído!

O preço desse passeio é de R1300,00 (mil e trezentos rands) – mais ou menos R$ 300,00. Se você considerar que inclui transporte e alimentação para o dia todo, e os equipamentos  e os serviços prestados, não é tão caro.

Nem todos os colegas da escola fazem esse passeio, alguns por medo, outros pelo preço, mas posso dizer que valeu muito a pena!!

É isso aí, até a próxima!!

Amigos,

A trip esta simplesmente inesquecivel… como tudo aqui, todo o lugar que a gente aponta a camera sai um cart’ao postal!!

Estou no penultimo dia da trip… em Jeffeys Bay!

Acabo de descobrir que e uma das prais mais famosas do mundo pra surf… e eu vou fazer! (isso sera no minimo engracado!)

Estamos hospedados um um albergue muito bom… ou pelo menos diferente de tudo que eu ja fiz hj!

Ainda nao tenho acesso a internet com facilidade… mas garanto que voces vao adorar as fotos, os lugares que visitei e tudo mais…

Prometo que assim que poss[ivel passo pra voces do di[ario de bordo… inclusive com o video do meu salto de b. jump!!

At’e mais…

Quando você vem fazer um curso de inglês em Cape Town você tem duas opções: ficar na residência estudantil (que é uma casa grande pra caramba, com vários quartos que você divide com outros estudantes) ou fica em casa de família (homestay).

Eu optei pela segunda. Ficar em uma casa de família é muito bom pra aprender sobre a cultura do país, e pra praticar o inglês, já que todos os dias você fica em contato com sua família daqui.

Minha família aqui é só uma Senhora (Ms Ann), que mora numa casa bem legal e hospeda nos quartos vagos estudantes.

Geralmente eu tomo café da manhã e janto em casa. Dá uma olhada aí embaixo nas comidas que ela faz!

E não é só ela, meus colegas de classe dizem que as Hostmathers deles cozinham pra caramba!!

Geralmente as pessoas gostam da homestay (até o cara que ta numa casa com 10 gatos!).

Nesse ritmo de passar um tempo com a homestay, no ultimo    domingo fui a igreja católica com ela e suas netas. A celebração é exatamente igual, chega a ser engraçado!

Depois da missa fomos a praia.

Aliás, é bem legal conversar com crianças, elas tem mais paciência… heheh

Na foto aí de baixo estão: Molly, Terri (intercambista da China que fica na mesma casa que eu), Savana e eu!

Aqui, eu, Mis Ann, Savana e Molly!

Robben Island é uma ilha em que há uma prisão para a qual, no passado, a polícia Sul Africana mandava seus prisioneiros, inclusive Nelson Mandela.

Hoje é um museu e uma reserva natural. Para chegar ao museu é preciso pegar um barco (do próprio museu) e em aproximadamente uma hora chega lá!

O passeio custa R200 (duzentos rands), aproximadamente R$ 50,00, demora umas três horas.

Não é um passeio tão barato (considerando as opções que a gente tem aqui), mas para quem gosta de história é muuuito legal.

Nada melhor do para conhecer um país do que conhecer um pouquinho da sua história.

Essa aí em baixo é a cela em que Nelson Mandela ficou preso.

Para quem não gosta de história, pode ir pelo visual, que é incrível. Você pode ver Cape Town, Table Mountain, Waterfront, Green Point e muito mais…

 

 

A noite, como estava morto, aluguei um filme com minha Hostfamily, fizemos uma festinha com as netas dela… com um monte de doce… e porcarias… e tudo mais.

Domingo fomos à igreja (católica) e à praia bem cedo… mas isso é para outro post.

Até breve!

 

 

 

 

Na Long St. tem um bar chamado Dubliner.

É um bar com música ao vivo (muito boa)!

Você paga R20 (Rands) para entrar, mais ou menos R$ 5,00 …. e a bebida não é cara…

Fui com vários amigos da escola, mas eu e Zizi chegamos um pouco antes.

Sentamos em uma mesa e acabamos fazendo amizade com algumas pessoas de Pretória (uma das capitais da África do Sul)… eles contaram um pouco da história do país… e claro… tomamos algumas cervejas.

Alguns minutos depois, ou melhor, algumas cervejas depois, meu inglês ficou bem melhor do que antes!!

Estou pensando em sugerir para escola que instale uma chopeira para ajudar os alunos brasileiros a aprender inglês mais rápido… heheh

Quanto a cerveja, é muito boa, mas ainda não me acostumei a beber cerveja quente… aqui, ela é levemente resfriada…

É isso aí.

Amanhã tem Robben Island Museum… um pouco de cultura pra equilibrar o blog…

Até mais!